Médico analisa raiz de ginseng para tratamento
HOMENS TAMBÉM PRECISAM DE CUIDADOS, E A MEDICINA TRADICIONAL CHINESA PODE AJUDAR

Por Christian Oliveira

Os antigos chineses propunham que cada ser vivo é sustentado por um equilíbrio de duas forças opostas, chamadas yin e yang. Juntas, elas formariam a essência da vida, ou qi – um tipo de energia que flui pelo corpo através de canais invisíveis chamados meridianos. Metade dos órgãos e meridianos é governada pelo yin e a outra metade, pelo yang. Quando o yin e o yang estão desequilibrados no corpo, isso causa um bloqueio do qi e, consequentemente, a doença. O desequilíbrio pode decorrer de estresse, poluição, dieta deficitária, distúrbios emocionais ou infecções.

A medicina tradicional chinesa (MTC), que existe há milhares de anos, apoia-se nessa teoria para identificar quais aspectos energéticos estariam em excesso ou em falta em determinada enfermidade. Assim, mesmo uma patologia que acomete tanto homens quanto mulheres, como a enxaqueca, assumiria características particulares em cada gênero.

Muitos acreditam que MTC seja sinônimo de acupuntura. Esta, porém, é apenas uma das inúmeras estratégias que um especialista pode utilizar. Os tratamentos com ervas, alimentos e técnicas terapêuticas como moxabustão e massagens, além de orientações sobre hábitos e estilo de vida, são formas efetivas para promover a saúde e minimizar as doenças dentro dessa perspectiva.

Apesar de vários estudiosos constatarem que os homens, em geral, padecem mais de condições severas e crônicas de saúde do que as mulheres – e morrem mais cedo que elas –, ainda há a crença de que eles não devem demonstrar suas fraquezas e deficiências no seio familiar e na sociedade. Esse comportamento, aprendido desde cedo e socialmente estimulado, inúmeras vezes faz com que os homens, quando atingem a maturidade, busquem menos e/ou tardiamente os serviços de saúde e, assim, tenham seus problemas agravados.

Alguns autores afirmam que o cuidado com a saúde é uma prática feminina, e outros acreditam que o homem busca menos ajuda médica por ter mais medo do diagnóstico que a mulher.

Quando o problema de saúde acomete apenas o homem – como uma doença na próstata –, parece que a patologia toma uma dimensão ainda maior, ferindo sua masculinidade e alterando, inclusive, o seu estado psíquico.

Falaremos sobre algumas doenças masculinas, mas não esqueça que qualquer problema de saúde detectado e tratado precocemente tem maior chance de cura. Procure ajuda profissional.

IMPOTÊNCIA SEXUAL

Se a mulher encerra seu potencial reprodutivo com a menopausa, com o homem é diferente. Apesar de o sêmen perder qualidade com o passar do tempo, o homem produz espermatozoides até o último dia de sua vida. O envelhecimento, porém, pode trazer a incapacidade de obter ou manter uma ereção adequada para a prática sexual. Essa condição temporária ou permanente é conhecida como impotência sexual, disfunção erétil ou transtorno erétil. O problema não está relacionado apenas à idade, mas também a doenças cardiovasculares, diabetes, uso de certos medicamentos, causas anatômicas ou estruturais, estresse ou fatores emocionais. Essa disfunção não deve ser confundida com falta ou diminuição da libido, nem com dificuldade em ejacular ou em atingir o orgasmo, apesar de inúmeras vezes esses sintomas fazerem parte do quadro.

Estudos apontam que cerca de 50% dos homens acima de 40 anos e 14% dos jovens acima dos 18 anos apresentam algum grau de impotência sexual. A MTC pode ajudar de várias formas quem passa pelo problema. O foco do tratamento de questões relacionadas à disfunção erétil é fortalecer e equilibrar o coração e os rins.

O coração, por sua importância nas atividades mentais, emoções e consciência, é a morada da mente. Além das funções reconhecidas pela medicina ocidental, tem também – de acordo com a MTC – um papel crucial na ereção, no orgasmo e na ejaculação.

Segundo os chineses, os rins armazenam a energia pré-natal, transmitida por nossos ancestrais, e agem sobre o nascimento, o crescimento, a sexualidade, a reprodução, o envelhecimento e a morte. Comandam também o sistema urinário e reprodutor. Um rim energeticamente frágil aumenta as chances de disfunção erétil, e existe outra relação entre esse órgão e o sexo: excessos no comportamento sexual demandam muito mais energia dos rins e causam seu enfraquecimento.

Não estamos dizendo que ter relação sexual é prejudicial à saúde, mas frisando que o equilíbrio é a melhor forma de se viver. Várias estratégias podem ser associadas nos quadros de impotência sexual. Acupuntura, fitoterapia e orientação dietética são as mais adotadas pela MTC.

A raiz de ginseng, muito usada em todo o Oriente, tem propriedades que ajudam a diminuir o estresse e o cansaço, melhoram a qualidade de vida e aumentam a longevidade. O consumo terapêutico pode ajudar no tratamento das disfunções masculinas. Porém, como qualquer remédio, deve ser consumido sob a supervisão de um especialista, pois pode causar efeitos colaterais em algumas pessoas e até ser inadequado para outras.

Inúmeros pontos de acupuntura podem ser estimulados, conforme as características clínicas do paciente com impotência sexual. O R3, por sua capacidade de nutrir e tonificar os rins, é muito usado nesses casos.

PROSTATITE

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino situada abaixo da bexiga e atravessada pela uretra. Por sua localização, as doenças que a afetam costumam causar sintomas associados à micção e às demais funções da bexiga. Na prostatite, crescimento anormal dessa glândula causado por uma inflamação, a pessoa sente dor e desconforto, com prejuízo na passagem da urina. A maioria das prostatites é causada por bactérias, mas vírus, fungos e outros agentes também podem desencadear a doença. Se não for tratada precocemente e de forma adequada, pode causar um abscesso e requerer intervenção cirúrgica.

Segundo a MTC, quadros de umidade/calor ou deficiência do qi podem favorecer a prostatite. Estresse, frustração, excesso de trabalho, exaustão e depressão também estão entre os fatores predisponentes. De novo, a MTC dispõe de vários recursos para abrandar esses sintomas, de pontos de acupuntura a fitoterápicos, mas o tratamento deve ser definido individualmente, por um especialista. Há, contudo, ações simples que já ajudam a diminuir o desconforto, como tomar banho de assento quente, evitar bebidas alcoólicas, cafeína e alimentos picantes, diminuir o tempo na postura sentada e beber bastante água.

HPB

A hiperplasia prostática benigna (HPB) não é sinônimo de prostatite, embora as condições sejam confundidas com frequência. Como vimos, enquanto a prostatite é provocada, na maioria dos casos, por infecção, na HPB o crescimento prostático decorre de proliferação celular (hiperplasia das células estroma e do epitélio). Há um aumento benigno no tamanho da próstata que atinge cerca de 25% dos homens entre 40 e 49 anos; e a incidência aumenta para 80% na faixa etária entre 70 e 80 anos.

A glândula, que normalmente é do tamanho de uma noz, pode ficar tão grande quanto uma bola de tênis, e os sintomas surgem quando a próstata aumentada bloqueia o fluxo de urina. Primeiro, os homens podem ter dificuldade para iniciar a micção ou, quando conseguem, sentem que não urinaram o suficiente. Como a bexiga não se esvazia por completo, a frequência das micções aumenta, geralmente durante a noite, e prejudica o repouso. A necessidade de urinar também pode ser repentina, quando o volume e a força do fluxo urinário diminuem notavelmente, e a urina pode ficar gotejando ao final da micção.

Para a MTC, essa patologia pode estar ligada a três fatores: deficiência energética nos rins, baço e pulmões; estagnação da essência (jing) ou estagnação de sangue (xue). A medicina chinesa e a medicina ocidental concordam que o consumo frequente de tomate pode ajudar a diminuir o tamanho da próstata e prevenir o câncer nessa região.

Há uma fórmula chinesa à base de ervas com ação anti-inflamatória que ajuda a atenuar os sintomas da HBP e de outros problemas urinários. A dosagem precisa ser discutida com um especialista.

CÂNCER DE PRÓSTATA

É a neoplasia mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele. De crescimento lento, esse tumor pode levar até 15 anos para atingir 1 cm³ e não costuma apresentar sintomas na fase inicial. Quando surgem, esses sintomas são muito parecidos com os da prostatite e da HPB. Por isso, uma investigação médica minuciosa é fundamental.

Se diagnosticado em fase inicial, tem grande probabilidade de cura, e o tratamento é menos agressivo. Porém, por ser uma doença silenciosa, muitas vezes o tumor só é descoberto em um estágio avançado. Então, frisemos mais uma vez que não é possível identificar a doença somente pelos seus sintomas. Consulte o urologista regularmente a partir dos 50 anos e mantenha os exames preventivos em dia.

De acordo com a MTC, cinco síndromes energéticas podem levar ao câncer de próstata: esgotamento de yin ou declínio do yang dos rins, umidade/calor, estagnação de qi e hiperatividade do fogo no coração. Acupuntura e fitoterapia chinesa são indicadas em todas as fases do tratamento e ajudam a diminuir a dor, os efeitos colaterais da quimioterapia e o linfedema, além de melhorar a imunidade e fortalecer estado emocional e a disposição do paciente.

Devido à baixa toxicidade, efeitos colaterais reduzidos e bons indícios de resultados benéficos no tratamento do tumor, os medicamentos chineses têm sido cada vez mais adotados por médicos e pacientes. Há diversos trabalhos publicados em revistas médicas sobre o potencial desses medicamentos em inibir o crescimento do tumor e a metástase, aumentar a expectativa de vida dos pacientes e a sua qualidade de vida. Alguns ingredientes milenares estão sendo estudados, com resultados animadores.

O mês de novembro é dedicado a ações que alertam sobre a importância da conscientização a respeito das doenças masculinas, com ênfase na prevenção do câncer de próstata. A campanha ficou conhecida como Novembro Azul. Aproveite a deixa para começar a cuidar melhor do seu organismo e adotar um estilo de vida mais saudável para o ano inteiro.

MTC medicina tradicional chinesa cuidando da saúde dos homens